Quem Somos

Este seleto grupo de irmãos bereanos registrados na passagem bíblica de Atos dos Apóstolos cap. 17 vs.1 examinavam a tudo que ouviam para se manterem íntegros na Palavra.

Neste sentido, foi criado em 15/10/2014 o grupo de whatsap batizado “bereanos” que assim como os do relato bíblico querem demonstrar o mesmo Espírito e zelo pela Sã Doutrina de Nosso Jesus Cristo.

Já passaram-se mais de 100 pessoas pelo nosso grupo de whatsap, e via de regra mantemos a média de 70 pessoas que participam de debates teológicos intensamente.

Dentre a nata de irmãos, contamos com: Mestres, Doutores, Escritores, Professores e Acadêmicos na área da Teologia e em outras áreas do estudo de humanas. Esses irmãos são de todas as partes do Brasil, doOiapoque ao Chuí, e das principais denominações evangélicas representativas do país.

Nosso foco é buscar a Graça e o Conhecimento em Cristo, a Excelência do Ministério, e o principal, praticar a apologia Cristã.

Estamos expandindo nossos horizontes, buscando explorar todas as mídias sobretudo redes sociais em geral, para alcançarmos o maior número de pessoas com nosso trabalho.

DR WAGNER PEDRO LIMA

==============================================

REGULAMENTO INTERNO DOS BEREANOS

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

 

Art. 1o   Este Código estabelece os princípios éticos e as regras básicas de compostura que devem orientar a conduta dos que estejam integrados no grupo.

Art. 2o   Não existem imunidades, prerrogativas e franquias asseguradas pelo Regimento Interno aos Membros. Todos são iguais perante o Código.

CAPÍTULO II

DOS DEVERES FUNDAMENTAIS

Art. 3o São deveres fundamentais do membro Bereano:

I – promover a defesa da Bíblia;

II – respeitar e cumprir as normas internas deste Grupo;

III – zelar pelo prestígio, aprimoramento e valorização do Grupo;

IV – exercer seu direito de participação com dignidade e respeito à coisa pública e à vontade popular, agindo com boa-fé, zelo e probidade;

V – APRESENTAR-SE AO GRUPO DURANTE OS DEBATES;

VI – EXAMINAR TODAS AS PROPOSIÇÕES SUBMETIDAS A SUA APRECIAÇÃO E VOTO SOB A ÓTICA DO INTERESSE COMUM;

VII – TRATAR   COM   RESPEITO   E   INDEPENDÊNCIA   OS   COLEGAS,   E AS AUTORIDADES DO GRUPO;

VIII – prestar contas da vida privada no que poderá atingir a imagem do grupo;

IX – RESPEITAR AS DECISÕES LEGÍTIMAS DOS CONSELHEIROS.

CAPÍTULO III

DOS ATOS ATENTATÓRIOS AO DECORO NO GRUPO

Art. 4o   Atentam,  contra   o   decoro   as seguintes condutas, puníveis na forma deste Código:

I – USAR O GRUPO APENAS PARA POSTAR PROPAGANDAS;

II- perturbar a ordem dos debates;

II – praticar atos que infrinjam  as regras de boa conduta no Grupo;

III – PRATICAR OFENSAS A INTEGRANTE DO GRUPO, POR ATOS OU PALAVRAS;

IV – USAR OS PODERES E PRERROGATIVAS DO CARGO PARA CONSTRANGER OU ALICIAR, COLEGA OU QUALQUER PESSOA, COM O FIMDE OBTER QUALQUER ESPÉCIE DE FAVORECIMENTO;

V – REVELAR CONTEÚDO DE DEBATES OU DELIBERAÇÕES DO GRUPO QUANDO ESTE FOR ESPECIFICADO COMO SIGILOSOS;

Parágrafo único.  As condutas puníveis neste artigo só serão objeto de apreciação mediante provas.

Art. 5o   Ao Conselho compete:

I – zelar pela observância dos preceitos deste Código, atuando no sentido da preservação da dignidade;

II – instaurar o processo disciplinar e proceder a todos os atos necessários à sua instrução;

Art. 6o   O Conselho compõe-se de sete membros.

1o Não poderá ser membro do Conselho o membro:

I – MEMBRO QUE TIVER MENOS DE um ANO DE GRUPO;

II – MEMBRO QUE JÁ ADMINISTRAR OUTRO GRUPO DE TEOLOGIA;

III- MEMBRO QUE JÁ SOFREU QUALQUER REPRIMENDA DESTE CÓDIGO;

O   RECEBIMENTO   DE   REPRESENTAÇÃO   CONTRA   MEMBRO   DO CONSELHO   POR  INFRINGÊNCIA   DOS   PRECEITOS ESTABELECIDOS POR ESTE CÓDIGO, COM PROVA INEQUÍVOCA DA VEROSSIMILHANÇA DA ACUSAÇÃO, CONSTITUEM CAUSA PARA SEU  IMEDIATO  AFASTAMENTO.

Art. 7o   O CONSELHEIRO CORREGEDOR DO GRUPO, a ser designado INTERNAMENTE, participará das deliberações do Conselho, com direito a voz e voto.

CAPÍTULO IV

DAS PENALIDADES APLICÁVEIS E DO PROCESSO DISCIPLINAR

Art. 8.  São as seguintes as penalidades aplicáveis por conduta atentatória ou incompatível com o decoro:

I – censura verbal ou escrita;

II – suspensão de cargo;

III – suspensão temporária do grupo;

IV – PERDA DEFINITIVA DO DIREITO DE PARTICIPAR NO GRUPO.

V- OS INCISOS SUPRA SERÃO APLICADOS INDEPENDENTES E NÃO CUMULATIVOS, podendo diante da gravidade ser aplicada imediatamente medida mais grave;

Parágrafo único.  Na     aplicação     das     penalidades     serão consideradas a NATUREZA e a GRAVIDADE da infração cometida, os danos que dela provierem para o Grupo, as CIRCUNSTÂNCIAS agravantes ou atenuantes e os ANTECEDENTES DO INFRATOR.

Art. 9.  A CENSURA verbal ou escrita será aplicada, POR QUALQUER ADMINISTRADOR durante os debates.

Parágrafo único.  Contra a aplicação da penalidade prevista neste artigo PODERÁ O INFRATOR PEDIR RECONSIDERAÇÃO O SE RETRATAR PUBLICAMENTE.

Art. 10.  A expulsão será aplicada Conselho observado o seguinte:

I – qualquer integrante é parte legítima para apresentar sua queixa ao Conselho, especificando os fatos e respectivas provas;

II – recebida representação nos termos do inciso I, verificadas a existência dos fatos e respectivas provas, o Administrador abrirá votação junto ao CONSELHO;

III – o   Conselho   emitirá,   ao   final   da   apuração,   parecer concluindo pela improcedência ou procedência do pedido;

IV – são passíveis de suspensão as seguintes prerrogativas:

  1. a) USAR A PALAVRA, INTERROPENDO DEBATE EM CURSO;
  2. b) ENCAMINHAR CONVERSAS DO GRUPO PARA OUTRAS REDES SOCIAIS SEM AUTORIZAÇÃO;
  3. c) USAR PALAVRAS DE BAIXO CALÃO;
  4. d) POSTAR NUDES DESPROPOSITALMENTE;

Art. 11.  A APLICAÇÃO DAS PENALIDADES DE SUSPENSÃO TEMPORÁRIA, E DE EXPULSÃO É DE COMPETÊNCIA DO CONSELHO, que VOTARÁ e por maioria absoluta de seus membros dará o VEREDITO.

Art. 12.  É facultado ao membro, em qualquer caso, constituir alguém para sua defesa, ou fazê-la pessoalmente, inclusive diante do Conselho.

PARÁGRAFO ÚNICO.  QUANDO A REPRESENTAÇÃO APRESENTADA CONTRA MEMBRO FOR  CONSIDERADA LEVIANA OU OFENSIVA À  SUA IMAGEM, BEM COMO À IMAGEM DO GRUPO, SERÁ DESCONSIDERADA APÓS DELIBERAÇÕES.

Art. 13.  Os processos instaurados pelo Conselho não poderão exceder o PRAZO DE CINCO DIAS PARA SUA DELIBERAÇÃO.

ESSE RI ENTRA EM VIGOR EM cinco DIAS DA SUA PUBLICAÇÃO.

SP, 10 AGO 2017.

ALBERI NASCENTE COSTA

LUIZ FLAVIO CURVELO DE JESUS

LUIZ GUSTAVO BATISTA

LUIZ MATOS

MARCELO CORDEIRO DE AMORIM

ROBERTO CARLOS CRUVINEL

WAGNER PEDRO LIMA